ReMatintas convida o público para o “Café da dona Pereira”


foto por: Carol Abreu

O Projeto ReMatintas está de volta! A primeira experimentação, em 2016, resultou em “O Velório de Dona Pereira”, uma intervenção cênica que experimentou a rua, além dos espaços físicos do Casarão do Boneco. Foi uma despedida, mas reza a lenda, que uma outra Matinta recebeu o fardo da falecida e dá continuidade a história, hoje, convidando o público para o “CAFÉ DA DONA PEREIRA”, que começou dia 21 e segue nos dias 28 e 29 de outubro, sempre sextas e sábados, às 19h. Quem quer?


O Café da Dona Pereira é um encontro que reunirá público e convivas na CASAMATINTA, uma ambiência que toma conta do Casarão do Boneco para abrigar a todos. Misto de lenda, ancestralidade e cultura amazônica, a proposta cênica visa provocar conversas, comentar e dar notícias, contar novidades, rever quem não se via, entre outras coisas. E entre as narrativas amazônidas é assim também que se agrada uma Matinta Pereira, a convidando para tomar um café.


Neste encontro, a ideia é que cada convidado (público) faça  parte de um processo, um modo de estar na CASAMATINTA, numa permanência tramada com encantamentos. Vir tomar um café é “matintar”, se permitir fazer parte de um outro modo de encontro, imergir nas nossas ancestralidades, alterar o cotidiano e se deixar envolver por outro modo de perceber o tempo.


“O público é convidado a assistir, mas também a estar com os atuantes, como partícipes de uma atmosfera alterada pelo jogo com o tempo e espaço na Casa; a estar inserido nas ações; a escolher onde e como quer estar nos diversos ambientes que foram preparados para alterar o olhar e a presença das pessoas e propiciar esta reinvenção do tempo, como quem se permite dialogar com as próprias memórias”, diz Adriana Cruz, Coordenação Projeto ReMatintas.

A lenda da Matinta induz e dá o clima a um processo que vem sendo construido há alguns anos pelo projeto ReMatintas. Em 2021, uma nova oportunidade de retomada surgiu com o apoio de uma emenda parlamentar e parte dos recursos foram aplicados na realização de sete laboratórios:

Figurino, Sons e Cena, Objetos Luminosos para Cena, Performance, Mascaramento, Manipulação

de Objeto-Rede e Produção Criativa.


“Essas linguagens estão unificadas nesta experimentação cênica. Este símbolo Matinta perpassa tudo enquanto uma ancestralidade amazônica, enquanto as raízes que nos trazem até aqui, enquanto lidar com o caminho, com o destino. Há também os indutores sonoros. E também foi trazido para dentro do projeto, como outro indutor, a questão da resistência do nosso fazer, das nossas raízes, a resistência de existir”, pontua Cristina Costa, do Laboratório de Produção Criativa.

SERVIÇO

CAFÉ DA DONA PEREIRA - Dias 28 e 29 de outubro (sextas e sábados) . Às 19h, na Av. 16 de Novembro, 815 - entre TV. Veiga Cabral e Praça Amazonas. Contribuição por convidado: R$ 30 (Antecipado por pix). Central de Atendimento: WhatsApp 91 98608.7575. A realização é da Escola

de Teatro e Dança da UFPA e Casarão do Boneco. Apoio institucional da UFPA e Fadesp.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo