top of page

Curta-metragem sobre Museu Parque Seringal de Ananindeua ganha prêmio na Europa



O município de Ananindeua (região metropolitana de Belém) tem ganhado destaque na Europa com o lançamento do documentário “SERINGAL ANANIN”, com direção geral e roteiro de Elizabeth Santos. O curta-metragem lançado no ano passado (2023), que fala sobre o Museu Parque Seringal de Ananindeua,  ganhou excelente repercussão no Salão de Arte Internacional, na Mostra Florestas em Madri/Espanha (2023).  No mesmo ano, em Portugal na Mostra NIZ 2023. Recentemente, venceu na categoria especial: Melhor Documentário no VEMSAC-Paris (2024), todos pela curadoria da Galeryspt. O projeto tem ainda Produção Executiva de Marta Nascimento e Marcelo Santos;  Direção de Produção de Graciete Barbosa; e trilha sonora de Salomão Habib.


O documentário aborda diversas vertentes: histórica, geográfica, cultural, social e, principalmente, a conscientização sobre a preservação do meio ambiente na Amazônia.  O “SERINGAL ANANIN” mostra a importância da preservação e valorização de áreas verdes na região urbana, também enfatiza o patrimônio histórico-geográfico do ciclo da borracha na Amazônia, educação ambiental, relação de afetividade da comunidade do entorno com o Parque Seringal, além de atividades culturais e sociais desenvolvidas no espaço.


Segundo Elizabeth Santos, o projeto é extremamente importante pois tem como objetivo principal a valorização e conscientização da sociedade em relação a preservação do meio ambiente e de áreas de preservação ambiental. “As pesquisas foram feitas durante um ano, buscando fontes, informações e pessoas que pudessem contribuir com depoimentos relevantes dentro do discurso que seria enfatizado no projeto, além disso, abordamos diversas questões referentes a importância  da conscientização pela sociedade e poder público no sentido de valorização dessas áreas de preservação ambiental”, explica a diretora.


Premiação:


Sobre o lançamento na Europa, e conquistado um prêmio importante em Paris, Elizabeth conta, ainda, que reconhecimento é muito significativo para cultura amazônica. “Foram de extrema relevância para a Direção e Produção, pois, ter um documentário lançado na Europa é muito importante para nossa trajetória no audiovisual. Ele foi lançado em Madri-Espanha (julho-2023), em seguida, Portugal e  Paris-França em abril (2024). Não esperávamos receber premiações, já estávamos satisfeitos em sermos selecionados pela curadoria para participarmos das Mostras internacionais, mas para a nossa surpresa, fomos premiados na categoria especial: MELHOR DOCUMENTÁRIO  no VEMSAC- PARIS-2024 e todos ficamos muito felizes com essa conquista”, completa.


Sobre o prêmio de MELHOR DOCUMENTÁRIO  no VEMSAC-PARIS 2024, a diretora e roteirista diz ser um marco no audiovisual de Ananindeua. “Termos uma produção premiada em um evento internacional é um grande incentivo para toda a nossa equipe e principalmente para o audiovisual de Ananindeua. Esse reconhecimento de nosso trabalho nos deu muito mais fôlego para continuarmos na produção de outros projetos que já estamos desenvolvendo, de ficção e documentários e que serão lançados brevemente”, relata Elizabeth.


Atualmente,  o documentário “SERINGAL ANANIN” está passando por  uma nova montagem e edição, com lançamento no Brasil, mais precisamente no município de Ananindeua. No formato de longa-metragem, o projeto tem  previsão de lançamento para  setembro deste ano, com exibição gratuita. 


Para saber mais detalhes dessa produção, e outros trabalhos da  direto e roterista Elizabeth Santos acesse seu perfil do instagram @bethsantos2391. Sobre a premiação acesse o perfil @vemsac.



Texto: Nexo Assessoria (@nexoassessoria_)



16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page