top of page

Completar 40 anos e sentir que a juventude acabou; É este o sentimento do novo single de Jan Thomassen

Atualizado: 10 de mai.



“Envelhecer consciente de que não há caminho de volta”. É este um dos pensamentos do novo single do cantor e compositor norueguês Jan Thomassen, radicado atualmente no litoral da Bahia. Com sonoridade pop rock resgatado dos anos 1980, a música “Mirror Man” foi composta durante a pandemia de Covid-19 logo depois de Jan completar 40 anos de idade, e, portanto, mergulhado na “crise dos 40”, quando ele percebeu que, enfim, sua juventude havia acabado.


“Mesmo tendo um riff e um ritmo meio alegre e pra frente, o tema da música é sobre enfrentar uma crise pessoal, com pânico de entrar nos quarentas, onde você percebe que a sua juventude realmente acabou. Muito mais rápido do que você imaginava que poderia acontecer. A letra da ‘Mirror Man’ fala sobre como é perceber como está envelhecendo e como é chegar aos quarenta anos, imaginando ‘como diabos eu envelheci tão rápido?!’”, contou ele.


Jan Thomassen destaca dois versos: “Mirror man you’re not the same / What happened? What a Shame”, que traduzido para o português dá em “Homem de Espelho, você não é o mesmo. O que aconteceu, que pena!”. Para ele, essa é a mais essencial frase da letra. “Esta frase explica a tristeza de se olhar no espelho e ver que não é mais quem você era. E com aquele diabo no ombro, sempre te lembrando disso.”, afirmou. 


Mas “Mirror Man” tem outra intenção que vai além do pessimismo e das lamentações. “A relutância em continuar entrando no abismo do envelhecimento luta contra a compreensão mais profunda de que realmente não há caminho de volta. No final, isso te deixa com duas escolhas: ou você salta do trem da vida para sempre ou fecha os olhos e encontra a motivação para continuar. No meu caso… meus filhos e minha família são as minhas razões para continuar.”


O lançamento de “Mirror Man” é a sequência de uma carreira de um artista de 44 anos nascido em Kristiansand (Noruega) e radicado em Maraú (Bahia). Tem as bandas de Seattle dos anos 1990 como principais referências, como Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains, Soundgarden, e tantos outros como Coldplay e John Mayer. O músico tem uma discografia que reúne um álbum, três singles e um EP, este lançado com sua banda homônima. Como destaque, também participou do disco "Origens" do Edi Rock (Racionais MC's), na faixa "Upperhand (Inferno Astral)", composição de Jan com o rapper.


Também empresário do ramo da hotelaria, Jan Thomassen vive a música desde que nasceu, tendo a influência de seu pai, professor de música. Aos 12 anos, já tocava escaleta, violino, piano, clarinete e violão/guitarra, estes de forma autodidata e são hoje seus principais instrumentos. Jan já participou de bandas, e atualmente está em duas paralelamente à carreira solo: uma banda que leva adiante suas composições e um grupo de cover, chamado Boreal. Jan já se apresentou em palcos de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo (na capital paulista esteve 2 vezes no Radio Rock 89).


É esta experiência de palco e estúdio que acompanha “Mirror Man”, canção gravada no estúdio belo-horizontino Stereoutono ao lado de Marcelinho Guerra (guitarras, produção musical, mix e master), Marcos Abjaud (piano e teclados), Felipe Contentino (bateria) e Olavo Barbi (baixo). O lançamento está disponível em todos os serviços de streaming.



2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page